Wednesday, January 16

Yo Soy, Yo Eres, Yo Es

No norte normalmente actuamos sempre em conjunto. somos bairristas e tradicionais. pertencemos à nossa familia, depois à nossa escola, à nossa terra, ao norte e por aí em diante.
aqui em lisboa decobri o egocentrismo em que se pode viver. e não querendo generalizar, este poema reflete algum do sentimento que às vezes sinto.

Yo soy.
Yo eres.
Yo es.
Yo somos.
Yo sois.
Yo son.

Si quieres sobrevivir, habrás de aprender a conjugar el verbo ser de esta manera. No es fácil, resulta costoso, no basta repetírselo una y otra vez tatuárselo en la corteza del alma, hay que creérselo, lo más dificil es creérselo, pero una vez que lo consigues puedes dar el siguente paso, aprender a conjugar el verbo amar para no conformarse con sobrevivir, para triunfar, para que tus deseos dicten a la realidad la forma en que ha de desarrollarse:

Yo me amo.
Tú me amas.
Él me ama.
Nosotros me amamos.
Vosotros me amáis.
Ellos me aman.

Juan Bonilla, Yo soy, Yo eres, Yo es, 2004

3 Comments:

At 13:09, Blogger marx guerst said...

Fala por ti quando falas do Norte... Eu já soy asi há muito tempo, e não acho que deixe de ser representativo de terras nortenhas :P
Engraçado, o raio do poema

 
At 22:58, Blogger ss said...

conjunto.bairrista.tradicional.
Olha que tb ha muito disso no sul , caraigo!
Apenas e' normal nao o sentires porque estas deslocado.
Eu tive uma sensacao identica quando fui para Guimaraes,imagina tu.

 
At 13:56, Blogger pepe garcia said...

Ando a cogitar sobre este assunto desde que me perdi na (pequena) cidade... e estou de acordo!
é um bom assunto pa post...

queijos

 

Post a Comment

<< Home