Tuesday, March 20

uma casinha japonesinha concertezinha....



Em Portugal gosta-se das casas grandes. O espaço é valioso e as casas tornam-se cada vez maiores para acomodar lavandarias, boudoirs, halls e coisas que dantes não eram necessárias. Antigamente era comum abrir a porta e entrar directamente na sala. Contudo, no Japão o espaço é uma coisa muito importante. Neste momento existe uma tendência que é a de construir micro-casas. Isto é, os jovens que não querem viver nos suburbios, mas não podem pagar os preços proibitivos de "casa normais" em Toquio constroem casa em espaços impensáveis de 30 e 40 metros quadrados. Isto acarreta vantagens. podem morar perto das estações de comboio centrais, das boas escolas no centro para os filhos e um sem número de coisas que o centro das cidades oferece.

Como exemplo podemos ver esta casa inserida num terreno de 41 metros quadrados. Nada é deixado ao acaso; o andar térreo um pouco afundado e o sotão tem um janelão para maximizar o aproveitamento de luz, as escadas são aberta para maximizar a luz e espaço. Na foto onde está a cadeira é um quarto, onde de noite cabe lá um estrado para dormir e durante o dia tem outras utilizações.

Podem ler a reportagem aqui!


uma pequena adenda!

É curioso, mas parece-me que toda a gente recusa este tipo de solução. Compreendo que assuste, contudo acho admirável o engenho e arte necessários para projectar algo numa zona com problemas reais de espaço. Postei isto em jeito de reflexão porque faz-me lembrar que os recursos não são eternos. Neste caso, a soluções são bem pensadas e procuram construir uma casa de verdade com tudo a que se tem direito. Digo isto porque não sendo de todo um percursor da micro arquitectura vejo muito espaço desperdiçado nas mãos de pouca gente, falo de soluções dispendiosas, mal aproveitadas e mal construídas. Não sei, mas nestes 41 metros quadrados de terreno consegui ver engenho, gosto e uma casa.

Labels: ,

6 Comments:

At 13:46, Blogger elisabete duarte said...

mas esses espacos nao fazem bem a' alma e acabam por nos deixar os olhos em bico!

 
At 14:46, Blogger Ergolas said...

Eu cá gosto mesmo é de espaços grandes. Deve ser atrofiante viver num espaço assim... Só mesmo para os já de si atrofiados dos japoneses é que dá.

 
At 19:02, Blogger Postscriptum said...

não é bem para comentar a casinha japonesinha, q por acaso me dá claustrofobia; é só a forma que tenho de te avisar que a cartarasgada já ñ é. agora é "O Domingo é um sítio estranho" em estranhodomingo@blogspot.com

 
At 19:18, Blogger jatoz said...

já está alterado. mas a menina tem de postar mais vezes!!!

 
At 22:24, Anonymous Anonymous said...

achos as casas muito interessantes, acho mesmo que deviamos pensar seriamente em criar bairros inteiros deste tipo. Se por um lado se perde espaço em casa, ganha-se em termos da crescente utilização do espaço publico. Para além disso é uma solução mto barata que se for aliada a materiais duráveis e versáteis pode mesmo dar grandes resultados.

 
At 00:07, Blogger Ergolas said...

Mas dá-se o caso de Portugal ter uma baixíssima taxa de habitante por km2 face à esmagadora maioria dos países considerados desenvolvidos. Daí que a questão do espaço não se ponha tanto, e seja mais o nosso problema - a meu ver - o de um desorganizado desenvolvimento.

 

Post a Comment

<< Home